Detalhes da Notícia

Aspectos práticos da avaliação psicológica nas organizações – versão atualizada e ampliada



A segunda edição do livro Aspectos práticos da avaliação psicológica nas organizações, versão atualizada e ampliada, organizada por Daniela Forgiarini Pereira e Denise Ruschel Bandeira, apresenta discussões atuais sobre a avaliação psicológica dentro das empresas. Versa sobre temas instigantes, tais como avaliação de desempenho, avaliação de personalidade como preditor de performance, avaliação psicológica de trabalhadores em espaço confinado, laudos e pareceres psicológicos e testes psicológicos, como o Teste de Personalidade Palográfico, as Pirâmides coloridas de Pfister e o Zulliger, aplicados no contexto organizacional e do trabalho.
O primeiro capítulo, com o tema Aspectos práticos da avaliação psicológica nas organizações as autoras fazem uma breve introdução sobre as dificuldades e desafios em Psicologia Organizacional e do Trabalho. Discutem sobre novas demandas e cenários, tais como a avaliação psicológica aplicada à aviação e avaliação psicossocial.
No segundo capítulo, Seile C. Garcia-Santos discorre sobre a importância de um levantamento de perfil de competências do cargo, pois é a partir dele que se elabora a entrevista comportamental. Ressalta a importância da combinação de vários instrumentos na avaliação psicológica nas organizações, com o intuito de minimizar erros na tomada de decisões.
O terceiro capítulo propõe um sumário interpretativo para o teste Pirâmides Coloridas de Pfister a partir de 11 agrupamentos obtidos teoricamente. O sumário apresenta um esquema visual de distribuição das variáveis, organizadas de acordo com seus valores interpretativos constantes no manual.
Rosane Schotgues Levenfus discute o uso do teste de personalidade Palográfico nas organizações no quarto capítulo. Discorre sobre a necessidade de que, cada vez mais, os processos seletivos precisam ser mais rápidos e eficazes. O teste Palográfico pode ser aplicado coletivamente e apresenta o sistema de correção informatizada do Palográfico – SKIP – como um facilitador na avaliação de grandes grupos, avaliando a produtividade, relacionamento interpessoal, emotividade, agressividade, entre outras características do candidato.
O uso da técnica Zulliger no processo seletivo é a pauta do quinto capítulo. Essa técnica pode ser aplicada tanto de forma coletiva quanto individualmente e foi validada no sistema compreensivo e na seleção de pessoas. Nesse mesmo capítulo as autoras destacam a necessidade de preparar psicólogos para a utilização dessa técnica, advertem sobre a importância de uma descrição do perfil desejado e distinguir a descrição de características da personalidade de um prognóstico de desempenho laboral.
No sexto capítulo, Renzo Oswald coloca em pauta a contribuição do método funcional em POT e a avaliação de personalidade como preditor de performance. O autor faz uma reflexão sobre as áreas que o psicólogo deve dominar, sobre algumas armadilhas que deve evitar e como a utilização do método funcional pode incorporar vários construtos, dando ao avaliador resultados válidos e fidedignos. 
A avaliação de desempenho em organizações de trabalho é o tema proposto no sétimo capítulo. Os autores fazem uma breve discussão sobre o que é avaliação de desempenho, metodologias e os dilemas em torno do assunto estudado, apresentando o estudo sobre a construção e validação da Escala Vasquez-Hutz de avaliação de desempenho.
Elisabeth Meyer e Daniela Forgiarini Pereira discorrem sobre a avaliação psicológica de trabalhadores em espaço confinado. Este capítulo traz informações sobre a Norma Regulamentadora 33, a proposta de protocolo adotado pelo SESI-PR e sobre instrumentos que são utilizados. Os autores fazem uma breve reflexão sobre o papel do psicólogo que atua nessa área, uma vez que é necessário avaliar o perfil psicológico e identificar possíveis comportamentos que colocam em risco a segurança do trabalhador em espaços confinados.
O último capítulo propõe reflexões sobre documentos redigidos pelo psicólogo para informar resultados obtidos por meio da avaliação psicológica. Os autores colocam em pauta os aspectos éticos, técnicos e princípios norteadores constantes na resolução 007/2003 do Conselho Federal de Psicologia. 
Por meio dos nove capítulos apresentados no livro os autores propõem uma reflexão sobre a avaliação psicológica dentro das organizações. De forma bastante cuidadosa temas importantes são tratados, valorizando os aspectos éticos e propondo novas pesquisas, tanto com instrumentos psicométricos como com técnicas projetivas. Entre os diferentes assuntos abordados os autores destacam que não se deve reduzir o processo de avaliação psicológica a um único teste ou técnica.
Cada vez mais as empresas buscam ferramentas para uma avaliação mais assertiva e eficaz, com o intuito de melhorar a qualidade de vida do trabalhador, minimizando custo e aumentando a produtividade. As diferentes questões presentes no livro são de extrema importância para pensar não só a avaliação psicológica dentro das organizações bem como a atuação do psicólogo na área de Psicologia Organizacional e do Trabalho e a importância de novas pesquisas. 
Com uma linguagem simples e por meio de temas complexos e atuais, o livro apresenta fundamentos práticos e teóricos e propõe reflexões sobre como a avaliação psicológica pode contribuir na prática profissional do psicólogo dentro das organizações. É uma leitura de muito valor para profissionais que atuam na área de Psicologia Organizacional e do Trabalho, uma área tão ampla e importante, que necessita de novos olhares e pesquisas.

Autora: Erica Hokama
Minicurrículo: Psicóloga, mestre e doutoranda em Psicologia da Saúde. Professora no curso de Psicologia da Universidade São Judas.
 

Voltar