icon_success icon_info icon_warning icon_error

image_157f5496-71bd-491d-92b3-8348b3829e6b
image_1e8bf80f-1b67-49b2-bdc4-d35521462d3d
image_e51c5091-9ecd-45e5-96d8-a13a5f773b96
icon-arrow-left
icon-arrow-right

A Organização do Pensamento Clínico em Psicoterapia

SKU 004732

0 avaliações de clientes

R$ 144,40 no Pix

ou R$ 152,00 no boleto

Ver mais formas de pagamento

Consulte frete e o prazo de entrega

Não Sabe o Cep?

  • Tema: Psicoterapia
  • ISBN: 9786553740761
  • Edição: 1ª Edição
  • Ano: 2023
  • Tamanho: 16x23 cm
  • Páginas: 256

O profissional que se inicia nos atendimentos psicoterapêuticos geralmente tem um cabedal de conhecimentos teóricos e uma relativa prática clínica, mas ele se indaga sobre o que o ajudaria a melhor formular pensamentos clínicos significativos para cada paciente individual.
 

Foi com a intenção de dar respostas a essa questão que um grupo de psicoterapeutas e pesquisadores elaborou concepções teóricas e práticas a respeito de um Modelo Metodológico aplicável à psicoterapia.O modelo é composto de fatores básicos encontrados com frequência nos atendimentos clínicos.
 

Também, são apresentadas as principais atitudes requeridas do profissional, além de indicações sobre os cuidados necessários em relação à sua interioridade. O livro não se limita ao contexto da psicoterapia psicodinâmica. Ele abrange psicoterapias em geral, especialmente sob as abordagens fenomenológico-existenciais, junguianas, cognitivo-comportamentais e psicanalíticas.
 

Assim, traz elementos para uma composição e uma síntese científicas bastante amplas. Não se trata de mais uma teoria, e sim de uma focalização metodológica de conjunto sobre os dados clínicos.

Walter Trinca

Apresentação (pág. 9)

PRIMEIRA PARTE – CARACTERÍSTICAS DE UM MODELO (pág. 15)

1. A concepção de um modelo de atendimento psicoterapêutico (pág. 17)

2. O ser interior e o self (pág. 33)

3. O contato e o distanciamento de contato com o ser interior (pág. 39)

4. A fragilidade e a angústia de dissipação do self (pág. 49)

5. A sensorialidade: compreendendo a forma básica e a sua intensificação  (pág. 61)

6. A sensorialidade de preenchimento substitutivo (pág. 71)

7. A sensorialidade produzida pelos ataques dos objetos (pág. 79)

8. A sensorialidade produzida por corte e exclusão (pág. 85)

9. As implicações da pulsão de morte (pág. 91)

10. As relações com o ambiente e com os processos de desenvolvimento (pág. 105)

11. Enfim, o que é um modelo metodológico? (pág. 123)

12. A interioridade do psicoterapeuta no atendimento clínico . (pág. 135)

 

SEGUNDA PARTE – CONEXÕES E IMPLICAÇÕES (pág. 143)

13. Atitude clínica: a livre expressão (pág. 145)

14. Atitude mental: a estética como aproximação (pág. 151)

15. Atitude sociopsicológica: a capacidade de holding e de consciência crítico-social (pág. 165)

16. Atitude filosófica e artística: a busca de si mesmo na confluência dos campos filosófico, psicanalítico e estético (pág. 177)

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS (pág. 199)

17. Psicanálise compreensiva – conceituações, reflexões e discussões (pág. 201)

 

CONCLUSÕES GERAIS (pág. 223)

ADENDO (pág. 229)

Formas de pensamentos em psicoterapia (pág. 231)

 

CRÉDITOS BIBLIOGRÁFICOS (pág. 247)

SOBRE OS AUTORES (pág. 249)

Opniões Sobre o Produto

O produto não tem reviews.

Deixe o seu comentário!